Colombo confirma possibilidade de renunciar ao governo para concorrer ao Senado

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Durante reunião de duas horas com a bancada do PMDB na Assembleia Legislativa, o governador Raimundo Colombo confirmou a disposição de renunciar ao governo no próximo ano para concorrer a uma vaga no Senado.

A reunião na Casa da Agronômica teve por objetivo apresentar o novo líder do PMDB, deputado Mauro de Nadal, e anunciar os projetos que o Executivo pretende submeter ao parlamento. Destinou-se, também, a melhorar o entrosamento entre os dois partidos aliados, PSD e PMDB. Os deputados do PMDB têm recebido queixas dos prefeitos sobre atendimento discriminatório de alguns secretários estaduais. O governador prometeu conversar com os auxiliares para corrigir tratamentos desiguais.

As relações com o PMDB se distanciaram quando Raimundo Colombo declarou no Encontro Estadual do PSD, em Florianópolis, que respaldaria o projeto do partido em 2018 e que o candidato oficial ao governo teria seu apoio. O PMDB reagiu, por entender que Colombo estava fechado com a candidatura ao governo do deputado Gelson Merisio, o que poderia resultar no término da coligação. O governador explicou que cada partido deve defender seu projeto político.

Mesmo confirmando que pretende deixar o governo em 2018, Colombo não revelou quando vai renunciar. O PMDB quer que saia em janeiro de 2018. O PSD, ao contrário, defende a saída somente em abril, prazo fatal da lei eleitoral. E há setores que sugerem até sua permanência até o final do mandato.

Indagado sobre a definição de coligações, Colombo previu que isso ocorra somente em julho de 2018, prazo final das convenções.

Diário Catarinense

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar