Porto Itapoá abre as portas para a comunidade

Avaliação do Usuário

Vem aí mais uma edição do Programa Porto da Gente, de visitas monitoradas no Terminal. Se você tem vontade de conhecer o Porto Itapoá por dentro, saber mais da sua história, estrutura, projetos e ainda dar uma volta no pátio e píer, esta é a sua oportunidade!

A próxima visita será no dia 5 de outubro, sábado, das 14h às 18h. As inscrições já estão abertas a todos os moradores de Itapoá com mais de 18 anos de idade, em função dos procedimentos de segurança. Se você tem interesse, ligue na Ouvidoria Social, através do 0800 674 558 e garanta a sua inscrição. São apenas 60 vagas, preenchidas por ordem de inscrição.

Aguardamos você!

 

Porto Itapoá registra recorde de movimentação em julho

Avaliação do Usuário

Volume foi o maior realizado pelo Terminal em 8 anos de operação

O Porto Itapoá registrou em julho o recorde de movimentações de contêineres da sua história, com destaque para o volume de importação, com mais de 9 mil contêineres. Neste mês de julho foram mais de 40 mil unidades movimentadas no total (71 mil TEUs), representando 22% a mais em comparação ao mesmo mês de 2018, superando o recorde registrado no mês de maio com 38.812 contêineres (65 mil TEUs). No acumulado do ano de 2019, o Terminal ultrapassou a marca de 240 mil unidades (mais de 400 mil TEUs).

Entre as cargas de importação mais movimentadas pelo Porto Itapoá estão eletroeletrônicos, artigos esportivos, brinquedos, automóveis e seus componentes (autoparts), produtos minerais, maquinário em geral, plástico e produtos químicos. E para exportação, destaque para a movimentação de papel e celulose, madeira, couros e peles.

O Porto Itapoá está na 5ª posição entre os terminais portuários de contêineres brasileiros, com expectativa de alcançar a 4ª posição no ranking anual ainda em 2019 (fonte: ANTAQ). Para atender a esse crescimento, o empreendimento fez investimentos que dobraram sua capacidade, passando a contar com uma estrutura capaz de movimentar até 1,2 milhão de TEUs/ano. As obras contemplaram 100 mil m² adicionais de pátio, resultando em uma área de 250 mil m², e mais 170 metros de píer, que passou a ter 800 metros de comprimento. A terceira fase da expansão permanece em andamento, onde o objetivo do Terminal, ao final do projeto, é alcançar uma área total de 450 mil m² de pátio e 1200 metros de píer, com capacidade para superar 2 milhões de TEUs/ano.

Carga inusitada

E o Porto Itapoá iniciou agosto com uma carga, no mínimo, inusitada. A Locopéia, uma espécie de trenzinho que encanta turistas nos desfiles da Oktoberfest de Blumenau, foi embarcada na tarde deste domingo, dia 4, para Nova York (EUA) pelo Terminal. A locomotiva alegórica vai desfilar pelas ruas da Big Apple durante o Brazilian Day, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro.

Sobre o Porto Itapoá

O Porto Itapoá, localizado no Norte de Santa Catarina, é um dos mais modernos e eficientes terminais de contêineres da América Latina, referência em sustentabilidade, tecnologia e relacionamento com o cliente. O Terminal de Uso Privado é administrado pelos acionistas Portinvest (Grupo PortoSul e LogZ) e Aliança Navegação e Logística (Hamburg Süd/A.P. Moller – Maersk Group). O Porto Itapoá está abrigado nas águas calmas da Baía da Babitonga.

Porto Itapoá conquista mais um Prêmio Empresa Cidadã da ADVB/SC

Avaliação do Usuário

PHOTO-2019-07-18-20-58-04 1

Na edição deste ano, o Terminal foi premiado na categoria Preservação Ambiental pelo programa Itapoá Sempre Verde

Pela segunda vez consecutiva o Porto Itapoá está entre os campeões do Prêmio Empresa Cidadã, promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB/SC). O presidente do Porto Itapoá, Cássio José Schreiner, colaboradores do Terminal e integrantes da ADEA - Associação de Defesa e Educação Ambiental -, que apoia a iniciativa, participaram da premiação que ocorreu na noite desta quinta-feira, 18 de julho, na FIESC - Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, em Florianópolis.

Este ano, o Terminal conquistou o prêmio na categoria Preservação Ambiental com o programa Itapoá Sempre Verde. O programa desenvolve a produção de mudas florestais nativas da região para atividades de Educação Socioambiental. O viveiro florestal mantido pelo Porto também proporciona à comunidade em geral o acesso à mudas destas espécies nativas, seja para recomposição da flora ou para ornamentação doméstica e pública.

Em 2018, o Porto Itapoá foi premiado pela ADVB/SC na categoria Participação Comunitária com o Programa Ampliar, que há três anos promove e patrocina projetos de desenvolvimento sociocultural, empreendedorismo e geração de renda para as famílias dos bairros no entorno do Terminal, contabilizando um investimento de mais de R$ 325 mil. Com o Ampliar o Porto Itapoá também conquistou reconhecimento internacional sendo agraciado com o Navis 2019 Inspire Awards, realizado em San Francisco, na Califórnia.

Para saber mais sobre o programa Itapoá Sempre Verde e outras ações socioambientais do Porto Itapoá basta acessar a plataforma de compartilhamento de informações no www.portoitapoa.com/socioambiental.

Em sua 21ª edição, o Prêmio Empresa Cidadã teve um acréscimo de 65% nas inscrições. A avaliação dos cases nas três categorias Preservação Ambiental, Participação Comunitária e Desenvolvimento Cultural, foi realizada por professores da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing).

Porto Itapoá completa 8 anos comemorando recordes

Avaliação do Usuário

16 de junho de 2011 marcou o início das operações do Terminal com o recebimento do primeiro navio

16 de junho de 2011. Há oito anos o Porto Itapoá recebia seu primeiro navio, o Cap San Lorenzo. Daquela noite até hoje foram mais de 4 mil navios operados e 4 milhões de TEUs movimentados, consolidando o Porto Itapoá como um dos maiores e mais importantes terminais portuários do Brasil. Além de celebrar essa trajetória de sucesso, o Porto Itapoá também comemora o bom momento atual. Em maio realizou a movimentação de 38.812 contêineres (65 mil TEUs), a maior deste mês entre os portos catarinenses. Maio também registrou o segundo maior número de atracações em um único mês nestes 8 anos. Foram 55 navios, número apenas superado por outubro de 2013, com 57 atracações. No acumulado de 2019 já foram contabilizados 310 mil TEUs movimentados em Itapoá.

Vale destacar que o projeto do Terminal nasce no ano de 1993, a partir da soma de ideias, desejos, conhecimento técnico e muita vontade de empreender da Família Battistella. De 1993 até 2004 caminharam por todos os cantos do País e do mundo buscando viabilizar o negócio, seja na aprovação dos licenciamentos e autorizações necessárias, seja na construção de parcerias para garantir a efetivação do projeto. Com a chegada dos dois novos sócios em 2005, Aliança Navegação e Logística e LOG Z, o Porto Itapoá começa a ganhar perspectiva e, em 2007, se iniciam as obras do Terminal.

Após quatro anos de construção, finalmente, no fim da tarde de 16 de junho de 2011, o navio Cap San Lorenzo, do armador Hamburg Süd, surgia na Baía da Babitonga para dar início às operações do Porto Itapoá.

Nesses oito anos, o Porto Itapoá alcançou a 5ª posição entre os terminais portuários de contêineres no País. Foram 87 mil TEUs movimentados no primeiro ano e, agora, em 2019, a previsão é se aproximar da marca dos 800 mil TEUs, o que colocaria o Terminal entre os três maiores do País em movimentação de contêineres.

Em 2011, a previsão, pautada no cenário que se apresentava na época, já indicava que o processo de ampliação seria inevitável, contudo, o plano inicial era que isso se iniciaria em 2018. No entanto, em dois anos de operação, a ocupação do Terminal alcançou 100% de sua capacidade. Ficou evidente que a aceitação do mercado de uma nova opção portuária indicava que seria possível acrescentar mais cargas via Porto Itapoá e provocando, assim, a antecipação do processo de ampliação, cuja primeira fase foi finalizada em 2018.

Até aqui já foram investidos recursos da ordem de R$ 1,2 bilhão nessas duas fases do projeto: a primeira, em operação desde junho de 2011, com uma capacidade de 500 mil TEUs/ano e, a segunda entregue em 2018, que elevou a capacidade para 1,2 milhão TEUs/ano. O projeto total do Porto Itapoá prevê ainda um adicional de investimento de R$ 1,7 bilhão para que se alcance a capacidade de movimentação de 2 milhões de TEUs/ano.

Referência do Setor em Gestão de Pessoas, Tecnologia e Inovação

Além de contêineres e, consequentemente, a riqueza da nossa indústria, pelo Porto Itapoá passam também histórias e conquistas. Alguns projetos desenvolvidos pelo Terminal têm estado na vanguarda das iniciativas portuárias do Brasil. Destaca-se, por exemplo o projeto Mulheres Portuárias, onde Itapoá se torna o primeiro porto do Brasil, e um dos primeiros no mundo, a incentivar mulheres a trabalharem em um ambiente portuário. A empresa foi o primeiro empreendimento portuário a figurar na lista dos melhores em Gestão de Pessoas, em pesquisa da Aon Hewitt/Valor Econômico. O Terminal ainda constou em primeiro lugar na lista ILOS/ jornal O Estado de S. Paulo, como o melhor porto na visão dos clientes.

Em termos de tecnologia o Porto Itapoá foi o primeiro porto a implantar o Sistema NAVIS/Sparcs N4 no Brasil, bem como, o primeiro terminal a implantar o sistema ERP SAP/4HANA. Em Itapoá também nasceram projetos pioneiros de portais específicos para a operação portuária, junto à Receita Federal e Ministério da Agricultura.

Em 2019, uma das mais recentes premiações concedidas ao Porto Itapoá esta ligada ao aspecto da Inovação. Em março, a marca foi reconhecida como uma das 50 empresas mais inovadoras do Sul do País e o único porto a figurar no tradicional ranking de inovação da Revista Amanhã / GIMI / IXL-Center.

Para completar, a empresa figura desde 2017 como o Porto com os clientes mais fiéis e satisfeitos do País, de acordo com o Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente – IBRC e da Revista Exame, fruto de um trabalho focado na qualidade do atendimento ao cliente e capacidade de resolver questões comerciais e operacionais, projeto também inovador no ambiente portuário brasileiro, valendo ao Terminal um índice de recomendação dos clientes (NPS) de 76 pontos, um dos mais altos do mundo.

Atuação Socioambiental consistente e premiada

Desde o início das operações o Porto Itapoá desenvolve uma série de ações socioambientais com o foco dirigido para o desenvolvimento local. Hoje, essas ações se transformaram em programas inseridos na estratégia de sustentabilidade na empresa. Destaca-se, dentre estes, os programas Geração Turismo, Geração Pesca e Geração Agricultura, cujos objetivos estão relacionados à geração de renda e desenvolvimento do conceito de autonomia socioeconômica.

Nessa linha de desenvolvimento da autonomia social e econômica, o grande expoente dentre os projetos promovidos pelo porto é o Programa Ampliar, recomendado aos mais importantes prêmios do setor Brasil afora, como a EcoBrasil2019 e o Navis 2019 Inspire Awards, realizado em San Francisco, na Califórnia. O Ampliar não se configura mais como uma iniciativa do Terminal, já conseguiu se consolidar como um programa da comunidade itapoaense, e é visto como um importante meio de valorização da cultura, história, cidadania e participação social no Município de Itapoá.

O Terminal trouxe uma dinâmica diferente para cidade. Além do investimento social, atualmente o Porto conta com 950 colaboradores diretos, o que significa quase 5.000 empregos, entre diretos e indiretos, para um município cuja população economicamente ativa gira em torno de 10.000 pessoas.

Além disso, o Porto Itapoá – e somando-se os demais empreendimentos da sua retroárea – é responsável por 80% da arrecadação tributária municipal. Adicionalmente, desde 2011 já foram investidos cerca de R$ 70 milhões, sendo R$ 33 milhões em acessos rodoviários no município, R$ 23 milhões para a estruturação da rede de energia elétrica e R$ 14 milhões em projetos nas áreas sociais e ambientais.

Em termos ambientais, a empresa é responsável por uma das maiores RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural) do Sul do País. Fruto do projeto de expansão do Terminal, que compensou em 10 vezes mais a área suprimida para a obra de ampliação, em forma de reserva legal dentro do Município de Itapoá, contígua à já existente Reserva Volta Velha, um dos atrativos turísticos de nossa Cidade.

Colaborador do Porto Itapoá supera desafio

Avaliação do Usuário

celsinhomsouza 2   BwICB94h4-j

Eduardo Terceiro da Silva Trankels surfa depois de ficar paraplégico por complicações de uma doença

Para Eduardo Terceiro da Silva Trankels, 34 anos, limite é uma palavra que não existe. Colaborador do Porto Itapoá há cinco anos, Eduardo ficou paraplégico após complicações de uma cirurgia na coluna e um câncer. Mesmo com a uma nova rotina e tendo que se adaptar a limitações, em 2016, Eduardo decidiu voltar a trabalhar. Como Assistente de Operações no Terminal, ele é um dos responsáveis pelos Relatórios Pós Desatracação de Navios.

Morando em Itapoá durante a semana e em Guaratuba nos fins de semana, ele se divide em uma rotina que passa pelos cuidados com a saúde, trabalho, lazer e superação de desafios.

E foi com essa ideia de não ficar parado mesmo contando com limitações que Eduardo e mais 10 amigos iniciaram uma jornada de três meses para quebrar um paradigma importante: o que paraplégicos não podem surfar. “Sempre gostei de mar e depois de ficar paraplégico ia várias vezes na beira do mar e ficava olhando, me imaginando entrando novamente, mas achava que era impossível. Até que meu amigo e colega de trabalho Celso Souza veio com a ideia de surfar. No início, achei meio difícil de acontecer, mas fomos amadurecendo a ideia com o tempo. Eu nunca tinha surfado na vida, o máximo que fiz foi pegar jacaré na beira da praia”, conta Eduardo.

Com a ajuda dos amigos, ele passou por meses de preparação, desde a organização dos equipamentos, até o preparo psicológico e físico. “Foi incrível a aceitação de todos que participaram da iniciativa. Ninguém enxergou dificuldade alguma. Marcamos o dia e escolhemos como local a Barra do Açaí, um dos picos do surfe de Itapoá. No dia da ação, todos reunidos me ajudaram a caminhar até a água, colocamos os equipamentos e começamos a remar em direção às ondas. Fomos até o ponto certo para aguardar a ‘onda perfeita e, em poucos minutos, ela veio”, descreve Eduardo feliz pela conquista e grato pela ajuda dos colegas. “Eles estavam o todo tempo comigo dentro da água. Quando eu pegava uma onda, já tinha alguém me esperando mais a frente. Foi incrível. Nunca pensei que pudesse ser possível.”

Eduardo só tem a agradecer aos amigos Celsinho Souza, Isaías de Borba, Léo Lawson, Marcos Estevão, Mika, Guilherme Aguiar, Ricardinho Batista, Danianderson Borges, Carlinhos e Pati da Barra do Açaí.

Superando seus limites todos os dias, Eduardo leva uma vida bem organizada e cheia de atividades. Além do trabalho, ele se dedica à fisioterapia e gosta muito de dirigir. “Sentia muita falta de um carro para me dar liberdade de ir e vir. Depois que comprei o automóvel adaptado, consegui voltar a ter a locomoção mais facilitada e isso faz diferença no meu dia a dia”, reforça.

A ideia agora é preparar o próximo dia de surfe, mas para isso, Eduardo precisa arranjar os outros equipamentos de que precisa, como roupa de borracha e pé de pato. “No surfe, a sensação foi de liberdade, de realização, e de esperança. Foi muito emocionante, por isso, digo que basta querer para fazer algo assim. Se a pessoa quiser e correr atrás dos seus objetivos, com certeza alcançará”, diz ele.

Usando muletas ou a cadeira de rodas quando precisa se deslocar por longos percursos, Eduardo sonha em voltar a andar e usa a experiência como motivadora para isso. “Nos seis meses em que fiquei internado vi meus sonhos e projetos serem interrompidos. Por isso digo que devemos dar valor pelo simples fato de poder respirar. Agradecer a Deus por tudo e parar de reclamar, além de olhar sempre o lado positivo das coisas são atitudes que pratico diariamente”, aconselha ele.