Polícia Federal prende dono de imobiliária em Balneário Camboriú

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

federal Oceano Branco

PF prende dono de imobiliária em Balneário Camboriú na segunda fase da Operação Oceano Branco.

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira a segunda fase da Operação Oceano Branco, que investiga o envio de cocaína ao exterior através dos portos de Itajaí e Navegantes. Dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos, um em Joinville e outro em Balneário Camboriú, onde um dos donos de uma imobiliária foi detido.

Os alvos já eram investigados por suposta ligação com o grupo que fornecia a droga para exportação. Segundo a polícia, as prisões foram decretadas porque os suspeitos vinham tentando ocultar provas e recuperar celulares e mídias que foram descartados por um dos suspeitos presos na primeira fase da operação, no dia 10 de outubro. Ele é irmão do alvo detido nesta segunda-feira e jogou os materiais pela janela de seu apartamento, em Balneário Camboriú, quando percebeu a chegada da polícia.

Além das prisões, também são cumpridos 8 mandados de busca e apreensão em Balneário Camboriú, Itajaí e Joinville. Com os suspeitos detidos nesta segunda-feira, o número de pessoas presas pela Operação Oceano Branco sobe para 34. Apenas cinco deles, que tinham mandado de prisão temporária com prazo de cinco dias, foram liberados.

A Operação Oceano Branco é de responsabilidade da Delegacia da Polícia Federal em Itajaí e foi deflagrada em conjunto com a Operação Contentor, que tem sede em Joinville. Juntas, as ações são a maior já feita pela Polícia Federal e a Receita Federal em Santa Catarina. Em um ano e meio de investigações, os órgãos federais conseguiram interceptar mais de 10 toneladas de cocaína movimentadas pelas quadrilhas, em apreensões feitas no Brasil e em portos da Europa.

A quantidade de drogas foi avaliada em mais de R$ 1,2 bilhão.

 

Diário Catarinense
Foto: Luiz Carlos Souza / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar