Visto eletrônico faz disparar interesse de norte-americanos pelo Brasil

Avaliação do Usuário

Nem as previsões mais otimistas conseguiram antecipar o que acabou acontecendo nos mercados onde foi aberta a possibilidade de obtenção de visto eletrônico para os turistas entrarem no Brasil. No primeiro balanço feito após a adoção da medida, levando-se em conta os primeiros 15 dias do mês de fevereiro, comparado ao mesmo período de 2017, o Ministério das Relações Exteriores registrou um aumento de 70% nos pedidos de visto nos Estados Unidos.

Também foi apontado um aumento de 26% nos pedidos feitos no Japão, assim como de 57% na Austrália. Quanto ao Canadá, houve um aumento de apenas 4%. Vale registrar, porém, que o Canadá é o único país dos quatro em que a concessão do visto eletrônico entrou em vigor e ainda não foi realizada nenhuma ação especial de divulgação. A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) agendará uma movimentação nesse sentido para os próximos meses.

Vinicius Lummertz, presidente do Instituto, responsável pela promoção do Brasil no exterior, comentou que apesar de sempre acreditar no sucesso da iniciativa, ficou surpreendido de forma positiva com a rápida resposta dos mercados emissores. “Quando estivemos em Nova Iorque para fazer o lançamento para o mercado norte-americano, acompanhados do ministro do Turismo, Marx Beltrão, e do embaixador do Brasil nos EUA, Sérgio Amaral, ouvimos dos líderes do trade daquele país que esperavam contar com o dobro de turistas em direção ao Brasil em poucos anos. Mas esse primeiro balanço foi fantástico. Indicam que essa meta pode até ser ultrapassada”, resumiu Lummertz.

Os Estados Unidos são o segundo maior país emissor de turistas para o Brasil, ficando atrás somente da Argentina. Mas, enquanto cada argentino deixa US$ 50 por dia no País, os americanos gastam 73 dólares diários, em média. Atualmente, 550 mil norte-americanos visitam anualmente o Brasil. Se for concretizada a previsão de Terry Dale, presidente da USTOA, entidade que reúne as principais operadoras e agentes de viagens norte-americanos, teremos em três ou quatro anos, mais de 1,2 milhões de turistas daquele país visitando o Brasil. A receita anual de US$ 710 milhões saltaria para mais de US$ 1,5 bilhão.

O balanço do Ministério das Relações Exteriores indica ainda que o visto eletrônico está com grande aceitação. Em todos os consulados brasileiros, onde a iniciativa está sendo adotada, é possível optar pelo método tradicional, quando a pessoa procura o consulado para encaminhar os documentos e aguarda ser chamada. Porém, ao saber da possibilidade de realizar o visto eletrônico, feito pela internet em qualquer lugar e com tempo de resposta inferior a 72 horas, os turistas aproveitam esta oportunidade. Na Austrália, onde a inciativa está implantada desde novembro, 98% já são emitidos via internet. Nos EUA, o novo método já foi escolhido por 65% dos turistas, no Canadá, 72% e, no Japão, 33%.

China

O sucesso da ação está animando o presidente da Embratur a buscar apoio para o próximo passo: o visto eletrônico para turistas chineses. “Não podemos deixar passar essa oportunidade. Está claro que o turista estrangeiro busca países onde encontra facilidades como o visto. A China tem um potencial enorme. São 130 milhões de chineses viajando anualmente pelo mundo. Pouco mais de 50 mil vem para o Brasil. Temos natureza, cultura, gastronomia. Mas é preciso facilidades para o visto de entrada, maior conectividade e voos mais baratos” destacou Vinicius Lummertz.

Combray assina serviços de gastronomia do Apronet 2018

Avaliação do Usuário

apronet

Nesta sexta-feira (23/2), o Combray Gastronomia vai assinar os serviços de alimentação do Seminário Apronet de Provedores 2018 – SAP 2018, que acontece no CentroSul Centro de Convenções de Florianópolis.

Para atender os cerca de setecentos participantes do evento, o Combray será responsável pelas alimentações de almoço, coffee breaks, happy hour e serviço de sala.

O Apronet é realizado pela Associação Catarinense de Provedores de Internet e já se consolidou como principal evento estadual do setor, promovendo negócios em atividades como cursos, palestras, debates e networking.

O Combray

O Combray Gastronomia é especializado em serviços de alimentação para centros de convenções e é responsável pela operação de todos os serviços de refeições do Centro de Convenções e Exposições da Expoville, em Joinvillle, e do CentroSul Centro de Convenções de Florianópolis.

Pizzas de Nápoles fazem sucesso em Curitiba

Avaliação do Usuário

pizzadenapolesFarinha italiana e longa fermentação natural: os segredos do Armazém Colônia para produzir a pizza mais leve e saborosa do mundo, a Pizza de Nápoles

 

Quem já comeu uma fatia de pizza e ficou "explodindo"?  Certamente, se isso já aconteceu com você, sabe do que estamos falando. O brasileiro é um dos maiores apreciadores de pizzas do mundo: somente em São Paulo, capital, são produzidas diariamente cerca de 1,2 milhão de pizzas. É um dos principais produtos consumidos pelos brasileiros.

Mas nem só de alegria vive o mundo das pizzas, diz Mauro Sfair, proprietário do restaurante Armazém Colônia, em Curitiba (140 km de Itapoá). "Eu fiquei anos sem poder comer pizza, pois cada vez que me aventurava, ficava a noite inteira "conversando" com a pizza, disse Sfair. "A partir daí abandonei o hábito e tirei a italiana da minha dieta".

Mas, ao descobrir que é possivel comer pizzas sem ficar "espocando", Mauro resolveu estudar o assunto e levou a sério: foi atrás do segredo por trás das pizzas de Nápoles, ao ser orientado pelo consultor Jaqueson Dichoff, um dos principais pizzaiolos da América Latina, premiadíssimo, e que morou em Nápoles por muitos anos onde teve o prazer de se especializar no assunto e hoje faz sucesso por onde passa. Dele é, por exemplo, a idéia da Rotolina - uma pizza enroladinha, cortada como sushis, que o Armazém Colônia serve como entrada - nos sabores abobrinha, calabresa e linguiça blumenau.

"A partir da descoberta da farinha 00 (classificação italiana das pizzas é por números), foi maravilhoso ter o contato com a massa legitimamente napolitana, que é composta por água, farinha e sal. Os napolitanos levam a sério o alimento que inventaram em 1700 e hoje é considerado Patrimônio Imaterial da Humanidade".

Além da massa ser produzida com farinha italiana, outro ítem importante é a fermentação longa e natural, o que se traduz em um sabor sem igual. "Em Nápoles, a pizza é considerada alimento e não lanche", disse Mauro, que aposta também na pizza como almoço exatamente da forma como é considerada em Nápoles, pois a leveza do alimento permite uma digestão tranquila. O Armazém Colônia abre todas as noites, e após o carnaval, também aos domingos, das 18 as 23h, e fica na Vicente Machado, 1168, na capital do Paraná

Ponte de Floripa pode ganhar roda gigante na cabeceira

Avaliação do Usuário

Depois de balneário Camboriú que apresentou recentemente à comunidade o projeto de instalação de uma roda gigante frente à praia – uma proposta da iniciativa privada – agora é a vez da capital. Isso porque o poder público de Florianópolis cogita o mesmo feito na cabeceira da ponte Hercílio Luz. A iniciativa é da secretaria de estado de Turismo.

Por coincidência, ou não, o secretário de Estado de Turismo é Leonel Pavan, morador de Balneário, prefeito e deputado pela cidade em anos recentes. Segundo ele, a instalação seria uma forma de dar ainda mais destaque ao principal cartão-postal da Ilha depois que ela for reaberta ao tráfego de veículos, o que está programado para ocorrer em dezembro de 2018.

De acordo com o político, a instalação contará com recursos oriundos da iniciativa privada. Basta, no momento, encontrar quem esteja disposto a colocar a mão no bolso. A roda gigante será instalada no Parque da Luz, que é municipal, e teria uma vista privilegiada, em especial na direção da Baía Sul.

A princípio, o projeto é apenas um esboço e dependerá de licenças ambientais e outras autorizações. Se concretizada, ganha Floripa, região metropolitana e até o Estado, pois será um atrativo a mais para turistas.

Duplicação da BR 280 é imprescindível

Avaliação do Usuário

Trecho faz parte de importante rota usada por turistas nacionais e internacionais que visitam Santa Catarina

A duplicação da rodovia BR 280, entre São Francisco e Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, foi pauta de encontro proposto pelo presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz, com o secretário executivo do Ministério dos Transportes, Fernando Forte. Realizada nesta terça-feira (12), A reunião, realizada nesta terça-feira (12), contou com a presença dos prefeitos de São Francisco do Sul, Renato Gama, e de Araquari, Clenilton Pereira, e de Marcos Stefano da prefeitura de Barra do Sul e de representantes do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

De acordo com o presidente da Embratur, a duplicação é, disparada, a melhor solução para enfrentar o crescente tráfego e, com isso, melhorar o fluxo turístico na região. “Com a obra, o objetivo é oferecer mais segurança a turistas e moradores e aumentar o número de visitantes nacionais e internacionais, em especial os que vêm de carro da Argentina, Uruguai e Paraguai”, disse Lummertz.

Por sugestão do secretário executivo do Ministério, a equipe do DNIT-SC e a construtora responsável pela obra no local irão analisar o projeto de alargamento da BR-280 para ajustes necessários. “A ideia é começar por um trecho de 11 quilômetros entre Araquari e o Porto de São Francisco do Sul e, em seguida, dar andamento à revitalização total e continuidade à execução dos três contratos de melhoria da BR”, destacou Fernando Forte. A comitiva irá se reunir nos próximos dias para questão orçamentária, caso o projeto não sofra grandes reajustes.